Pular para o conteúdo principal

Matéria com Madalena Feliciano no UOL Mulher!

Dez dicas tornam o trabalho melhor quando você não ama o que faz.



Tem horas em que você tem vontade de largar tudo e ir vender sanduíche natural na praia? Tenha calma: essa nem sempre é a melhor estratégia para lidar com o fato de a carreira escolhida não trazer a satisfação desejada. Antes de tomar uma decisão precipitada, leia dicas de especialistas para melhorar a situação antes de conseguir trocar de profissão.

1. Pense positivo

De acordo com o coach e consultor corporativo Carlos Diz, nem sempre detestar o trabalho tem a ver com estímulos externos –ambiente ruim, colegas competitivos, salário baixo–, mas com a própria percepção que temos da atividade.

"Quando não gostamos do que fazemos, a atividade se torna ainda mais difícil por casa da emoção negativa produzida ao pensarmos nisso", comenta Carlos, que é um dos sócios do Centro de NeuroLiderança, entidade que ministra cursos sobre o tema em São Paulo (SP), no Rio de Janeiro (RJ) e à distância.

Enquanto você não consegue uma nova oportunidade, tente pensar no fato de que a profissão escolhida não precisa ser necessariamente para sempre e em como vai ser bom quando tiver conseguido mudar. "Lembre-se que esse trabalho ainda é melhor do que nenhum", fala o consultor.

2. Negocie mudanças

Se o motivo da sua infelicidade vem da área em que está trabalhando, por que não verificar a possibilidade de trocar de setor ou função?

"Pesquise dentro da organização se há vagas em outros departamentos; tente se aproximar daqueles que mais lhe agradam; analise onde poderia sentir maior motivação", diz Madalena Feliciano, diretora da Outliers Careers, de São Paulo (SP). Ela sugere, ainda, negociar mudanças com o chefe: uma simples transferência pode ajudar a lidar com a sensação de sobrecarga, cansaço e infelicidade.

3. Ache um ombro amigo

Em muitos casos, os sentimentos de impotência e frustração podem ser atenuados se você desabafar. Encontre a pessoa certa e faça isso. Não estamos falando do chefe, mas daquele amigo, colega, conselheiro ou mentor em que você pode confiar. "Certifique-se que essa pessoa pode contribuir e não vai passar seu desabafo adiante", diz Madalena.

4. Invista no tempo livre

Dedicar-se a um hobby e não abrir mão dos momentos de lazer ajuda a tornar o fardo de uma carreira mal escolhida mais leve. Busque viver momentos agradáveis com amigos e familiares, pratique atividades que relaxam e revigoram e não descuide do sono nem da alimentação. Certamente o seu humor será outro seguindo essas dicas. E mais: quem sabe numa dessas ocasiões de folga não surge a ideia tão esperada para guiar sua mudança de vida?

5. Cultive um plano B

Reflita sobre seus objetivos de vida pessoal e profissional para descobrir se o que você não gosta é o trabalho em si, o ambiente ou a empresa. "Se for o trabalho, repense sobre seu plano de carreira. Afinal, passamos mais tempo no trabalho do que com a família", fala Bruna Tokunaga Dias, gerente da empresa paulistana de recrutamento e seleção Cia de Talentos. "Pesquise cursos de especialização para promover uma mudança", exemplifica. Mas antes de tomar uma decisão, prepare-se para a mudança.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comunicação das abelhas

Vamos analisar a forma com que as abelhas se comunicam, associando-a a importância de uma linguagem clara e objetiva dentro de uma empresa?As abelhas possuem um sistema de comunicação bastante organizado e interessante: quando querem informar as companheiras sobre a localização de uma fonte de alimento, as campeiras – responsáveis por registrar a posição da fonte em relação a colmeia – usam o sistema da dança, que difere em relação a distância da localização. Em uma empresa, a comunicação – que, em nossa espécie, ocorre através da linguagem – precisa ser de natureza clara e eficiente seja qual o setor de atuação, direcionando o trabalho ao alvo definido pela corporação. Digamos, em comparação, que este alvo seria a fonte de alimento e, a equipe, o grupo de abelhas: todas caminhando na mesma direção, sob uma liderança que almeja o sucesso profissional e se comunica através dessa linguagem objetiva. Pensando em aprimorar a comunicação de uma empresa – entre setores, funcionários e como in…

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

Esta é a prova de que postar no LinkedIn pode deixá-lo “famoso”

LinkedIn acaba de divulgar ranking inédito no Brasil com os usuários cujos textos tiveram mais repercussão neste ano PorCamila Pati LinkedIn: 12 mil novos artigos em português toda semana (Flickr/Creative Commons/Nan Palmero) São Paulo – Com 27 milhões de perfis de brasileiros, oLinkedInacaba de divulgar uma lista inédita por aqui:a de usuários cujos artigos alcançaram maior repercussão na rede social neste ano. OrankingTop Voices tem como foco pessoas comuns e que publicam espontaneamente narede socialprofissional, ou seja, não são convidadas pela plataforma a escrever, como no caso dos usuários influenciadores. “Qualquer usuário pode publicar um artigo e é muito simples fazer isso. Desde agosto do ano passado há um botão “escrever artigo” na página inicial”, diz o editor do LinkedIn, Guilherme Odri. De acordo com ele, é uma oportunidade de dividir ideias com uma audiência interessada em aprender e também em ensinar. Marc Tawill, sócio-diretor da Tawill Comunicação, foi, entre…