quarta-feira, 14 de novembro de 2018

As redes em favor das empresas na busca por profissionais

LinkedIn e Facebook são grandes aliados na hora de recrutar novos talentos ou divulgar uma empresa

A importância que a internet tem tanto na vida das pessoas, quanto na realidade corporativa, não para de crescer – e a tendência é que só aumente. Mas, para a sua influência e manuseio gerar um bom resultado, cabe as empresas saberem como utilizá-la a seu favor.
Segundo pesquisa da Education First realizada com 1.023 profissionais da área de negócios em dez países, incluindo o Brasil, 33% responderam que ferramenta digital tem um papel fundamental na promoção da marca e dos produtos de suas organizações. Seja para recrutar/conhecer possíveis novos colaboradores, para divulgar um novo material, construir uma boa imagem online, “medir” a sua popularidade e capacidade de engajamento na internet, as empresas, sejam micro ou multinacionais, começam a reconhecer cada vez mais o poder da internet e das redes sociais, – principalmente aquelas que apresentam um conteúdo que pode ser utilizado na vida profissional, como o Facebook, e principalmente, o LinkedIn. E isso pode ser comprovado por números: segundo pesquisa recente, 66% de pequenas empresas concordam que manter perfis em redes sociais é importante para os negócios, – coisa que, até pouco tempo, era apenas observada pelas grandes empresas.
Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da empresa Outliers Careers, comenta que essas duas redes citadas podem auxiliar na divulgação de oportunidades e na obtenção de informações sobre os profissionais ou empresa, já que podem ser uma boa fonte de informação sobre o histórico e experiências – principalmente quando trata-se do LinkedIn.
“Muitas empresas estão buscando profissionais pelo LinkedIn, já que por ali é possível recrutar e/ou selecionar profissionais com experiências em setores similares ou correspondentes ao que a empresa procura. Essa é a tendência do futuro”, diz Madalena.
O processo de recrutamento e seleção torna-se mais rápido e efetivo quando a empresa sabe utilizar a seu favor as redes – porém, como dito anteriormente, é preciso saber utilizá-las corretamente. “Todo cuidado é pouco, já que as empresas ficam muito expostas à reclamações e possíveis críticas feitas por um candidato, e isso pode causar certo constrangimento para a instituição”, ressalta a gestora.
Graças à internet, e principalmente as redes sociais, hoje é mais fácil para as empresas encontrarem profissionais com o perfil que tanto desejam para integrarem seus times. “Porém, para isso, é preciso que tanto a empresa quanto o profissional saibam utilizar bem as ferramentas oferecidas pela web”, comenta Madalena.
O Facebook também auxilia a empresa, mas de outra maneira. “Os usuários costumam demonstrar o apreço que possuem pelas marcas nessa rede, fazendo propaganda de um produto apenas porque gostam, – e nada é mais genuíno e proveitoso do que a propaganda gratuita dos próprios clientes” lembra.
O Facebook é item obrigatório para empresas que desejam passar a imagem de maior credibilidade, modernidade e interatividade. A rede permite a avaliação da instituição, um relacionamento mais estreito entre cliente e empresa, comentários e curtidas, etc. “Quando bem avaliada e atenta para as respostas dos seus ‘fãs’, a empresa torna-se bem quista online – e, com isso, conquista mais clientes e público em geral”, explica o especialista, que ressalta, “ou seja, se você deseja ser visto e lembrado, é preciso ter, pelo menos, uma página boa a bem atualizada no Facebook”.
Trabalhando em união com as ferramentas e facilidades oferecidas por essas duas redes sociais profissionais, assim como estando ciente das consequências que elas podem causar, sua empresa estará mais do que pronta para adentrar essa nova era digital. Você está esperando o que para usar – e abusar – da internet e suas infinitas possibilidades?

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Deixar o emprego e iniciar um novo negócio: vale à pena ? Quando é a hora ?

Largar o certo pelo duvidoso requer coragem e disposição – mas, muitas vezes, traz consigo a felicidade que o profissional não encontrava no antigo trabalho

Deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer algo um tanto quanto assustador. É preciso estar mais do que preparado para dar esse grande salto – e não simplesmente “pular sem olhar para baixo” e sem medir as possíveis consequências. Além da coragem necessária para essa nova fase, existem formas mais seguras de alcançar o sucesso e aumentar as possibilidades de ser bem sucedido na abertura do novo negócio, só é preciso muito estudo e atenção em cada atitude.
Segundo Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da Outliers Careers, é cada vez mais comum as pessoas desejarem abrir o seu próprio negócio e serem os seus próprios chefes, talvez pelo sonho de liberdade ou de poderem fazer o que gostam em seu próprio horário de trabalho – e, assim, sobrando mais tempo para sua vida particular.
Porém, não é sempre isso o que acontece. Qualquer um que deseja empreender e abrir o seu próprio negócio deve estar ciente que muitas vezes o novo trabalho ocupa mais tempo do que o antigo, por isso, ele deve ser algo que seja prazeroso para o profissional. “O inicio de qualquer negócio é algo que exige atenção e muita vontade, o que leva ao dono da instituição exercer a função além daquelas 8 horas diárias de segunda a sexta. Ou seja: Prepare-se para virar noites trabalhando”, diz Madalena.
Para saber se está apto a trabalhar por conta, antes de tudo é preciso ter uma boa ideia, estudar muito sobre a área em que se deseja abrir o negócio, estudar os concorrentes, ter bons conselheiros, um capital inicial disponível para investir na empresa, ter a certeza de que esse novo emprego lhe trará mais satisfação que o antigo, acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos, uma boa rede de contatos e autoconhecimento, para saber se você é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.
“Você tem um bom produto ou serviço a ser oferecido? Ele já foi testado? Existem clientes reais que se interessam pelo o que eu vou oferecer? Essas são perguntas cruciais. Se a resposta for negativa, o melhor caminho pode ser voltar para o papel e caneta e começar do zero. É preciso que você seja capaz de descrever em poucas palavras o que seu serviço/produto é capaz de trazer como benefício para seus clientes. A partir desse momento, se torna concreto que você sabe o que quer oferecer ao mercado e como fará isso”, exalta a especialista.
Outro aspecto importante é escolher o local em que irá instalar o novo negócio, como será a estrutura, com quem irá se associar, onde captar recursos financeiros adicionais, a burocracia da documentação, etc. Esses são desafios que mexem com à paciência do empreendedor, mas que são necessários no início de qualquer projeto.
“Já com o negócio em andamento surgem as características comuns encontradas em qualquer emprego: gerenciar funcionários, lidar com pessoas, controlar estoques, negociações comerciais, pagamento de impostos… É preciso que o empreendedor saiba lidar com isso sem se estressar, já que são questões que acontecerão de forma contínua,” comenta Madalena.
A especialista comenta que esse não é um objetivo fácil de ser atingido, mas que, quando bem pensado e feito com atenção vale a pena o esforço. “Fazendo essa transição com naturalidade e muita vontade, tudo acontecerá mais facilmente, mesmo sendo sua primeira experiência como empreendedor. É preciso passar por vários obstáculos que surgem no caminho, mas, no final não há nada como ter um negócio para chamar de seu – e ter orgulho disso”, conclui.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Um salto para o sucesso, empreendedor

Deixar um emprego que te traz garantia para apostar em uma nova carreira ainda é considerado um passo de risco. Antigamente, a pressão exercida pela família na área profissional era um dos maiores fatores de desistência em empreendimentos. Hoje em dia, a razão se tornou muito mais séria. Em tempos economicamente instáveis como os que o Brasil passa no momento, deixar de lado uma carreira consolidada, pela incerteza de apostar em algo novo, é certamente um risco muito maior. No entanto, mesmo apesar de todos esses obstáculos, é cada vez mais comum observar pessoas seguirem o caminho que desejam, mesmo que isso exija maior esforço e traga menos retorno financeiro.
Madalena Feliciano, gestora de carreiras e diretora da Outliers Careers  conta que deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer assustador, mas ainda é possível: “Não existe receita para que o resultado seja 100% positivo, mas existem sim algumas atitudes que podem ser tomadas para fazer com que o período de transição seja promissor”.
“Primeiramente, o profissional precisa saber se tem uma boa ideia para colocar em prática e, para dar esse grande salto é preciso estar preparado, ter um bom planejamento e saber com quem contar”, afirma Madalena, separando mais alguma dicas para ajudar estes profissionais:
1.Estudar a área de atuação e concorrentes, para acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos;
2.Procurar por bons conselheiros;
3.Ter um capital inicial disponível para investir na empresa;
4.Manter uma boa rede de contatos;
5.Antes de largar o atual emprego, ter a certeza de que esse empreendimento lhe trará mais satisfação que o antigo;
6.Autoconhecimento é importantíssimo, para saber se é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.
Além disso, a gestora afirma que o profissional que deseja empreender, precisa estar ciente de que muitas vezes o novo trabalho ocupará mais tempo do que o antigo. “Principalmente no início, o empreendimento tomará maior parte do tempo e não trará grande retorno financeiro e, por isso, deve ser algo prazeroso. O profissional precisa estar preparado para virar noites trabalhando e pensando sobre como resolver possíveis problemas”, exalta, por fim, Madalena.

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Deixar o emprego e iniciar um novo negócio: vale à pena ? Quando é a hora ?

Largar o certo pelo duvidoso requer coragem e disposição – mas, muitas vezes, traz consigo a felicidade que o profissional não encontrava no antigo trabalho

Deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer algo um tanto quanto assustador. É preciso estar mais do que preparado para dar esse grande salto – e não simplesmente “pular sem olhar para baixo” e sem medir as possíveis consequências. Além da coragem necessária para essa nova fase, existem formas mais seguras de alcançar o sucesso e aumentar as possibilidades de ser bem sucedido na abertura do novo negócio, só é preciso muito estudo e atenção em cada atitude.
Segundo Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da Outliers Careers, é cada vez mais comum as pessoas desejarem abrir o seu próprio negócio e serem os seus próprios chefes, talvez pelo sonho de liberdade ou de poderem fazer o que gostam em seu próprio horário de trabalho – e, assim, sobrando mais tempo para sua vida particular.
Porém, não é sempre isso o que acontece. Qualquer um que deseja empreender e abrir o seu próprio negócio deve estar ciente que muitas vezes o novo trabalho ocupa mais tempo do que o antigo, por isso, ele deve ser algo que seja prazeroso para o profissional. “O inicio de qualquer negócio é algo que exige atenção e muita vontade, o que leva ao dono da instituição exercer a função além daquelas 8 horas diárias de segunda a sexta. Ou seja: Prepare-se para virar noites trabalhando”, diz Madalena.
Para saber se está apto a trabalhar por conta, antes de tudo é preciso ter uma boa ideia, estudar muito sobre a área em que se deseja abrir o negócio, estudar os concorrentes, ter bons conselheiros, um capital inicial disponível para investir na empresa, ter a certeza de que esse novo emprego lhe trará mais satisfação que o antigo, acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos, uma boa rede de contatos e autoconhecimento, para saber se você é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.
“Você tem um bom produto ou serviço a ser oferecido? Ele já foi testado? Existem clientes reais que se interessam pelo o que eu vou oferecer? Essas são perguntas cruciais. Se a resposta for negativa, o melhor caminho pode ser voltar para o papel e caneta e começar do zero. É preciso que você seja capaz de descrever em poucas palavras o que seu serviço/produto é capaz de trazer como benefício para seus clientes. A partir desse momento, se torna concreto que você sabe o que quer oferecer ao mercado e como fará isso”, exalta a especialista.
Outro aspecto importante é escolher o local em que irá instalar o novo negócio, como será a estrutura, com quem irá se associar, onde captar recursos financeiros adicionais, a burocracia da documentação, etc. Esses são desafios que mexem com à paciência do empreendedor, mas que são necessários no início de qualquer projeto.
“Já com o negócio em andamento surgem as características comuns encontradas em qualquer emprego: gerenciar funcionários, lidar com pessoas, controlar estoques, negociações comerciais, pagamento de impostos… É preciso que o empreendedor saiba lidar com isso sem se estressar, já que são questões que acontecerão de forma contínua,” comenta Madalena.
A especialista comenta que esse não é um objetivo fácil de ser atingido, mas que, quando bem pensado e feito com atenção vale a pena o esforço. “Fazendo essa transição com naturalidade e muita vontade, tudo acontecerá mais facilmente, mesmo sendo sua primeira experiência como empreendedor. É preciso passar por vários obstáculos que surgem no caminho, mas, no final não há nada como ter um negócio para chamar de seu – e ter orgulho disso”, conclui.

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Profissionais Equilibrados


Além de serem competentes em suas funções e bem qualificados, os pré-requisitos para uma contratação, hoje, é a inteligência emocional. Com cada vez mais informação, tarefas a serem realizadas e estresse no dia a dia, a capacidade de saber trabalhar sob pressão e lidar com problemas de forma tranquila é um dos traços mais buscados por recrutadores. Não a toa, empresas fazem extensos processos seletivos e analisam cada detalhe do candidato, na esperança de realmente saber o máximo possível sobre o futuro contratado.

É importante enxergar como a falta de sensibilidade em se relacionar com os outros prejudica a imagem e o desempenho. “Quem sabe lidar com seus medos, inseguranças e insatisfações costuma ter maior êxito em seus cargos, além de também manter a harmonia com os colegas no escritório”, explica Madalena Feliciano, diretora da Outliers Careers e do Instituto Profissional de Coaching.

Ainda de acordo com a especialista, por natureza, o ser humano é predisposto a seguir seus instintos, porém, é essencial ter discernimento para tomar decisões, além de tranquilidade e sabedoria na hora de buscar e executar as melhores estratégias.


Para Madalena, profissionais inteligentes emocionalmente tendem a obter resultados no trabalho, como promoções mais rápidas, acertos, um bom networking e maior facilidade em aprender coisas novas. “O profissional enxerga os obstáculos de um ângulo mais otimista, e isso faz com ele tornar-se um visionário, afinal, sabe como negociar, desenvolve a sua intuição e escuta mais seus líderes e parceiros”, diz a coach.


Deixar as emocionais tomarem conta das suas tomadas de decisão e ser incapazes de racionalizar de forma lógica, realista e estratégica, não permite chegar às melhores soluções. “Ao administrar seus sentimentos você garante a si mesmo e aos seus próximos uma maior produtividade, felicidade e realização própria. Viver de maneira equilibrada é a solução para os males”, conclui Madalena.


sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Saia da zona de conforto


Você está satisfeito com seu trabalho? Há espaço para melhorias? Existe um mundo cheio de possibilidades para além do já conhecido. Identificando quais comportamentos o incomodam e gostaria de realizar em sua vida, o próximo passo é agir. 


De acordo com a gestora Madalena Feliciano, da empresa de recolocação Outliers Careers, sair da sua zona de conforto vai lhe causar uma onda de energia e adrenalina, seguida por um sentimento de euforia leve. “Fará bem tanto pessoal, quanto profissionalmente. Esse pode ser o gatilho para fazer um projeto sair do papel ou para alterar as suas funções”, explica. 

Se você atua no mesmo emprego há algum tempo, mesmo estando insatisfeito com ele, provavelmente você está estagnado. Frases como ‘Isso é impossível para mim’, ‘É muito difícil’ ou ‘Pode vir a ser embaraçoso’, consequentemente faz a pessoa se agarrar a um conceito, como se sua vida dependesse disso. 

Contudo, já se perguntou por que crescer na carreira é tão importante? O que você espera realmente conquistar em sua trajetória profissional? Ainda existe um mundo cheio de possibilidades. Volte a se movimentar e conquiste a carreira almejada. O primeiro passo é com você, depois as coisas acontecem naturalmente. 



quinta-feira, 25 de outubro de 2018

4 características de um bom líder


Liderar pessoas é um comportamento complexo, o qual vai além de técnicas, conhecimentos e experiências. Ser um bom gestor no mercado de trabalho, hoje, exige muito do profissional, pois é preciso lidar com pessoas e situações diferentes e adversas da melhor forma possível sem perder a compostura, paciência e o foco nos objetivos traçados.


As empresas mudam muito de acordo com os seus gerentes e a forma como cada um deles trabalha. “É preciso ser e fazer diferente, se importar verdadeiramente com os seus liderados e entender a importância de buscar no seu interior, o melhor de si para extrair dos outros o melhor de cada um”, explica Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da Outliers Careers.


A especialista destaca quatro características fundamentais: 


- Construir ambientes seguros: para obter a adesão verdadeira da sua equipe é preciso comprometimento, motivação e engajamento de cada colaborador da empresa. Isso só acontecerá quando as pessoas estiverem abertas e receptivas e se sentirem seguras para poder agir.   

- Boa comunicação: palavras são poderosas, por isso, a forma de falar é essencial. Desenvolva a habilidade com maestria. Para isso, o ideal é aprender a ouvir, trabalhar a escuta ativa, compreender o modelo de mundo do seu funcionário e construir uma troca de informações clara, positiva e assertiva.

- Respeitar códigos de honra: isso significa chegar aonde outros não chegaram, ver além, esforçar-se e superar os seus medos e fraquezas.




- Agir no presente com foco no futuro: mantenha a visão estratégica, tenha prazer em sua profissão e na sua forma de trabalhar, acostume-se a inspirar e influenciar toda sua equipe a partir do seu próprio comportamento, exemplo e atitude.