Pular para o conteúdo principal

Matéria com Madalena Feliciano na BBC News

Coaching auxilia profissionais perto da aposentadoria

O mundo de hoje oferece muitas oportunidades boas para quem passa dos 60 - basta saber usá-las.


Muitos dizem que a vida começa aos 40 – prova disso é o aumento na expectativa de vida do brasileiro, que para os homens é de 81,9 anos e para as mulheres é de 87,2 anos. Muitos se aposentam assim que têm a oportunidade, aos 55, 60 anos, porém, a vida continua após a aposentadoria, e, para aproveitar a longevidade, especialistas falam em uma “pós carreira”.
Madalena Feliciano, diretora do Instituto Profissional de Coaching, comenta que para isso é preciso planejar essa nova etapa da vida. “É preciso evitar o tempo ocioso demais e ocupá-lo de forma prazerosa, dando atenção a novos interesses – como hobbies os quais a pessoa sempre teve vontade de fazer, ou trabalho voluntário – e mantendo-se intelectualmente, fisicamente e socialmente ativa”, comenta.
O recém aposentado deve ter em mente que o fim da carreira profissional lhe oferece tempo, experiências e segurança financeira para reinventar a vida. “E o coaching para aposentado ajuda a pessoa a enxergar esse novo caminho. O objetivo é fazer um bom planejamento financeiro - devido a possível redução de salário, - e a contratação de um bom plano de saúde para que o aposentado tenha um vida com qualidade e sem atropelo financeiro” exalta Madalena.
Resumidamente, o coaching nessa área visa dar suporte ao profissional que encontra-se em fase de preparação para a aposentadoria – ou para aqueles que já estão aposentados mas encontram dificuldades em seguir em frente. “Na aposentadoria o idoso deve aproveitar tudo o que tem ao seu alcance. Para isso, o coaching auxilia a pessoa a elaborar um projeto que sirva como um caminho para descobrir novos horizontes alinhados com suas preferências, valores e missão de vida. 
Madalena ressalta que o planejamento é extremamente importante para o recém aposentado. “Digo isso porque é normal que os recém aposentados desfrutem dessa nova fase como se estivessem de férias do trabalho – passando os primeiros meses aproveitando e em repouso. Porém, passada essa euforia, o ócio demasiado revela-se bem diferente do intervalo anual de descanso – e é este o sentido das férias: descansar após os vários meses de trabalho”, diz a especialista.
O ser humano nasce com a vontade de sentir-se ativo e produtivo, e, caso a pessoa passe muito tempo apenas em “descanso”, é normal que com o passar dos dias, ela deixe de lado o estado de disposição ao de ansiedade – e esse faz com que a pessoa tenha uma sensação de vazio, já que sente não estar fazendo nada produtivo.
Sabendo que muitos aposentados sofrem com a ociosidade, o coaching nessa área ajuda no ingresso de uma nova fase de atividade produtiva. “Não é uma transição simples, mas a área de gestão de pessoas conta com estratégias eficazes para respaldar a volta ao mercado, ou a planejar o tempo livre – e o aposentado tem o lado positivo de trazer consigo a maturidade e as experiências pessoais”, comenta.
A pessoa, ao aposentar-se deixa um pouco de si nas empresas as quais trabalhou, porém, sempre é tempo de recomeçar e assumir novos papeis, sejam eles profissionais, voluntários, ou apenas consigo mesmo. “Para isso, pode ser preciso um auxílio de fora, que ajude nessa reciclagem, desenvolvimento e confiança no futuro”, conclui Madalena.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comunicação das abelhas

Vamos analisar a forma com que as abelhas se comunicam, associando-a a importância de uma linguagem clara e objetiva dentro de uma empresa?As abelhas possuem um sistema de comunicação bastante organizado e interessante: quando querem informar as companheiras sobre a localização de uma fonte de alimento, as campeiras – responsáveis por registrar a posição da fonte em relação a colmeia – usam o sistema da dança, que difere em relação a distância da localização. Em uma empresa, a comunicação – que, em nossa espécie, ocorre através da linguagem – precisa ser de natureza clara e eficiente seja qual o setor de atuação, direcionando o trabalho ao alvo definido pela corporação. Digamos, em comparação, que este alvo seria a fonte de alimento e, a equipe, o grupo de abelhas: todas caminhando na mesma direção, sob uma liderança que almeja o sucesso profissional e se comunica através dessa linguagem objetiva. Pensando em aprimorar a comunicação de uma empresa – entre setores, funcionários e como in…

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

Esta é a prova de que postar no LinkedIn pode deixá-lo “famoso”

LinkedIn acaba de divulgar ranking inédito no Brasil com os usuários cujos textos tiveram mais repercussão neste ano PorCamila Pati LinkedIn: 12 mil novos artigos em português toda semana (Flickr/Creative Commons/Nan Palmero) São Paulo – Com 27 milhões de perfis de brasileiros, oLinkedInacaba de divulgar uma lista inédita por aqui:a de usuários cujos artigos alcançaram maior repercussão na rede social neste ano. OrankingTop Voices tem como foco pessoas comuns e que publicam espontaneamente narede socialprofissional, ou seja, não são convidadas pela plataforma a escrever, como no caso dos usuários influenciadores. “Qualquer usuário pode publicar um artigo e é muito simples fazer isso. Desde agosto do ano passado há um botão “escrever artigo” na página inicial”, diz o editor do LinkedIn, Guilherme Odri. De acordo com ele, é uma oportunidade de dividir ideias com uma audiência interessada em aprender e também em ensinar. Marc Tawill, sócio-diretor da Tawill Comunicação, foi, entre…