Pular para o conteúdo principal

Você se faz muitas cobranças?


Tenho observado e atendido a muitas pessoas que querem alcançar resultados rápidos em sua vida profissional e acham que se cobrar é a solução. A pergunta é: será que essa postura não afasta a paz e coloca ainda mais ansiedade no meio do caminho rumo ao sucesso?

A autocobrança é uma super exigência que fazemos para nos colocar em disciplina em direção a um objetivo. Achamos que os seus resultados podem nos trazer maior visão sobre o que devemos fazer em nossa área de trabalho. Mas, de fato, essa energia atua como uma forma de pressão interna que nos impede de ver os resultados brilhantes que conseguimos no nosso dia-a-dia.

Claro que temos o costume de achar que se cobrar é importante para conseguir alcançar uma melhora na qualidade de nossos serviços. Mas isso não é se cobrar, é ter disciplina para alcançar a sua meta. Ser disciplinado não é se colocar para baixo.

Certamente, há cobranças externas como prazos de entrega de tarefas, limites de horas que devemos cumprir por dia. Mas todas estas cobranças externas não podem nos atingir tão drasticamente quanto a autocobrança que fazemos. Porque essa exigência interfere justamente na maneira como nos vemos, ou seja, na nossa autoestima.

Se você se cobra, se coloca no mundo como apenas uma máquina de cumprir tarefas, já vai trabalhar com um peso nas costas, com uma sensação de desconforto que nem sabe bem como definir. Se cobrar em demasia por algo no trabalho quer dizer muitas vezes não respeitar seus limites de entrega à profissão, é não ter prazer em realizar sua função, é não ver que você realiza bons trabalhos. A cobrança em excesso afasta a sensação de realização pessoal e profissional.

Responda a si mesmo:

1 No seu dia-a-dia, você consegue ver os resultados positivos de seu trabalho ou vive se criticando e se pondo mais para baixo quando não consegue fazer o que precisa ser feito?

2 Como você reage diante de alguma tarefa nova? Fica ansioso e com medo? Ou percebe o quanto você é capaz de realizar algo diferente?

3 Você se coloca no mundo como um merecedor de um bom emprego e boa remuneração? Ou no fundo, no fundo, acha que você ainda não está pronto para aquele cargo tão sonhado e aquele salário melhor?

Atitudes de autocobrança só trazem angústia, ansiedade e desespero em ter que cumprir um trabalho, principalmente se alguém te diz que a tarefa é importante para a sua empresa. Se cobrar demais faz você ter baixo rendimento profissional, afinal como uma pessoa que se acha incapaz e despreparada pode realizar um bom trabalho? Além disso, no lado externo da situação, faz que com o mundo te veja como alguém que realmente não merece ser valorizado - porque você não se valoriza.

E aí, você vai querer continuar a se cobrar ou vai passar a se valorizar como uma pessoa capaz e segura do que faz? Aproveite este momento para rever suas atitudes e tentar descobrir maneiras de se fortalecer dentro de si e de acreditar mais em seu potencial.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comunicação das abelhas

Vamos analisar a forma com que as abelhas se comunicam, associando-a a importância de uma linguagem clara e objetiva dentro de uma empresa?As abelhas possuem um sistema de comunicação bastante organizado e interessante: quando querem informar as companheiras sobre a localização de uma fonte de alimento, as campeiras – responsáveis por registrar a posição da fonte em relação a colmeia – usam o sistema da dança, que difere em relação a distância da localização. Em uma empresa, a comunicação – que, em nossa espécie, ocorre através da linguagem – precisa ser de natureza clara e eficiente seja qual o setor de atuação, direcionando o trabalho ao alvo definido pela corporação. Digamos, em comparação, que este alvo seria a fonte de alimento e, a equipe, o grupo de abelhas: todas caminhando na mesma direção, sob uma liderança que almeja o sucesso profissional e se comunica através dessa linguagem objetiva. Pensando em aprimorar a comunicação de uma empresa – entre setores, funcionários e como in…

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

Esta é a prova de que postar no LinkedIn pode deixá-lo “famoso”

LinkedIn acaba de divulgar ranking inédito no Brasil com os usuários cujos textos tiveram mais repercussão neste ano PorCamila Pati LinkedIn: 12 mil novos artigos em português toda semana (Flickr/Creative Commons/Nan Palmero) São Paulo – Com 27 milhões de perfis de brasileiros, oLinkedInacaba de divulgar uma lista inédita por aqui:a de usuários cujos artigos alcançaram maior repercussão na rede social neste ano. OrankingTop Voices tem como foco pessoas comuns e que publicam espontaneamente narede socialprofissional, ou seja, não são convidadas pela plataforma a escrever, como no caso dos usuários influenciadores. “Qualquer usuário pode publicar um artigo e é muito simples fazer isso. Desde agosto do ano passado há um botão “escrever artigo” na página inicial”, diz o editor do LinkedIn, Guilherme Odri. De acordo com ele, é uma oportunidade de dividir ideias com uma audiência interessada em aprender e também em ensinar. Marc Tawill, sócio-diretor da Tawill Comunicação, foi, entre…