terça-feira, 30 de outubro de 2018

Deixar o emprego e iniciar um novo negócio: vale à pena ? Quando é a hora ?

Largar o certo pelo duvidoso requer coragem e disposição – mas, muitas vezes, traz consigo a felicidade que o profissional não encontrava no antigo trabalho

Deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer algo um tanto quanto assustador. É preciso estar mais do que preparado para dar esse grande salto – e não simplesmente “pular sem olhar para baixo” e sem medir as possíveis consequências. Além da coragem necessária para essa nova fase, existem formas mais seguras de alcançar o sucesso e aumentar as possibilidades de ser bem sucedido na abertura do novo negócio, só é preciso muito estudo e atenção em cada atitude.
Segundo Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da Outliers Careers, é cada vez mais comum as pessoas desejarem abrir o seu próprio negócio e serem os seus próprios chefes, talvez pelo sonho de liberdade ou de poderem fazer o que gostam em seu próprio horário de trabalho – e, assim, sobrando mais tempo para sua vida particular.
Porém, não é sempre isso o que acontece. Qualquer um que deseja empreender e abrir o seu próprio negócio deve estar ciente que muitas vezes o novo trabalho ocupa mais tempo do que o antigo, por isso, ele deve ser algo que seja prazeroso para o profissional. “O inicio de qualquer negócio é algo que exige atenção e muita vontade, o que leva ao dono da instituição exercer a função além daquelas 8 horas diárias de segunda a sexta. Ou seja: Prepare-se para virar noites trabalhando”, diz Madalena.
Para saber se está apto a trabalhar por conta, antes de tudo é preciso ter uma boa ideia, estudar muito sobre a área em que se deseja abrir o negócio, estudar os concorrentes, ter bons conselheiros, um capital inicial disponível para investir na empresa, ter a certeza de que esse novo emprego lhe trará mais satisfação que o antigo, acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos, uma boa rede de contatos e autoconhecimento, para saber se você é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.
“Você tem um bom produto ou serviço a ser oferecido? Ele já foi testado? Existem clientes reais que se interessam pelo o que eu vou oferecer? Essas são perguntas cruciais. Se a resposta for negativa, o melhor caminho pode ser voltar para o papel e caneta e começar do zero. É preciso que você seja capaz de descrever em poucas palavras o que seu serviço/produto é capaz de trazer como benefício para seus clientes. A partir desse momento, se torna concreto que você sabe o que quer oferecer ao mercado e como fará isso”, exalta a especialista.
Outro aspecto importante é escolher o local em que irá instalar o novo negócio, como será a estrutura, com quem irá se associar, onde captar recursos financeiros adicionais, a burocracia da documentação, etc. Esses são desafios que mexem com à paciência do empreendedor, mas que são necessários no início de qualquer projeto.
“Já com o negócio em andamento surgem as características comuns encontradas em qualquer emprego: gerenciar funcionários, lidar com pessoas, controlar estoques, negociações comerciais, pagamento de impostos… É preciso que o empreendedor saiba lidar com isso sem se estressar, já que são questões que acontecerão de forma contínua,” comenta Madalena.
A especialista comenta que esse não é um objetivo fácil de ser atingido, mas que, quando bem pensado e feito com atenção vale a pena o esforço. “Fazendo essa transição com naturalidade e muita vontade, tudo acontecerá mais facilmente, mesmo sendo sua primeira experiência como empreendedor. É preciso passar por vários obstáculos que surgem no caminho, mas, no final não há nada como ter um negócio para chamar de seu – e ter orgulho disso”, conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário