quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Um salto para o sucesso, empreendedor

Deixar um emprego que te traz garantia para apostar em uma nova carreira ainda é considerado um passo de risco. Antigamente, a pressão exercida pela família na área profissional era um dos maiores fatores de desistência em empreendimentos. Hoje em dia, a razão se tornou muito mais séria. Em tempos economicamente instáveis como os que o Brasil passa no momento, deixar de lado uma carreira consolidada, pela incerteza de apostar em algo novo, é certamente um risco muito maior. No entanto, mesmo apesar de todos esses obstáculos, é cada vez mais comum observar pessoas seguirem o caminho que desejam, mesmo que isso exija maior esforço e traga menos retorno financeiro.
Madalena Feliciano, gestora de carreiras e diretora da Outliers Careers  conta que deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer assustador, mas ainda é possível: “Não existe receita para que o resultado seja 100% positivo, mas existem sim algumas atitudes que podem ser tomadas para fazer com que o período de transição seja promissor”.
“Primeiramente, o profissional precisa saber se tem uma boa ideia para colocar em prática e, para dar esse grande salto é preciso estar preparado, ter um bom planejamento e saber com quem contar”, afirma Madalena, separando mais alguma dicas para ajudar estes profissionais:
1.Estudar a área de atuação e concorrentes, para acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos;
2.Procurar por bons conselheiros;
3.Ter um capital inicial disponível para investir na empresa;
4.Manter uma boa rede de contatos;
5.Antes de largar o atual emprego, ter a certeza de que esse empreendimento lhe trará mais satisfação que o antigo;
6.Autoconhecimento é importantíssimo, para saber se é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.
Além disso, a gestora afirma que o profissional que deseja empreender, precisa estar ciente de que muitas vezes o novo trabalho ocupará mais tempo do que o antigo. “Principalmente no início, o empreendimento tomará maior parte do tempo e não trará grande retorno financeiro e, por isso, deve ser algo prazeroso. O profissional precisa estar preparado para virar noites trabalhando e pensando sobre como resolver possíveis problemas”, exalta, por fim, Madalena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário