Pular para o conteúdo principal

10 dicas para não “congelar” sua carreira na crise

Não quer que sua carreira entre na geladeira, enquanto a crise não passa? Confira as dicas de Sofia Esteves, do Grupo DMRH

Sabemos que em tempos de crise tudo anda a passos mais lentos, mas isso não significa que sua carreira tem que parar no tempo e esperar por dias – muito! – melhores para evoluir, afinal de contas, você está aí, diariamente, dando o melhor de si no que faz. Certo?
Para te ajudar a não deixar que sua carreira entre na geladeira, enquanto a crise não passa, vou listar 10 dicas que podem te levar para o próximo nível. Vamos lá?
  1.  Em primeiro lugar é importante mostrar ao seu chefe a real complexidade de cada projeto e atividade que você executa. Se não fizer isso, as chances de você ser reconhecido, ter um aumento de salário ou ser promovido podem ficar mais restritas.
  2.  Ouça atentamente os feedbacks que recebe. É comum que alguns adotem uma postura defensiva ou negativa ao receber um feedback, mas vale lembrar que o objetivo dele é ser um meio para avaliar os pontos fortes e “a desenvolver” de um profissional. Faz parte do processo de desenvolvimento e, por isso, o saldo deverá ser sempre positivo.
  3.  Toda decisão profissional deve ser analisada e realizada de acordo com um plano de carreira. Pedir demissão só porque não concorda com o estilo de gestão do chefe ou aceitar a proposta de outra empresa só porque a remuneração é mais alta, entre outras atitudes impulsivas, podem desviar você dos seus objetivos profissionais.
  4.  Se você é aquele que sempre reclama de tudo, é melhor rever sua postura profissional. Este comportamento pode não ser positivo para o seu relacionamento com os colegas de trabalho e para o seu crescimento na carreira.
  5.  Dizer que está sempre ocupado, achar que só você está “sobrecarregado” de trabalho e não ser disponível para ajudar seus colegas não é bom para sua imagem profissional. Saber trabalhar em equipe é atualmente uma das competências mais requisitadas pelas empresas. Ser gentil e estar disposto a contribuir é sempre muito bom. Mas isso de maneira genuína, não atuando.
  6.  Alguns profissionais têm receio de discordar do chefe. Não é proibido expressar uma opinião diferente ou oposta, desde que bem argumentada e coerente. Pelo contrário, pode ser que sua ideia seja mais assertiva e traga mais resultados para a empresa – e você ganhe pontos com ela.
  7.  Os erros fazem (e devem fazer) parte de uma trajetória de carreira. O ideal é que os profissionais saibam admitir seus erros, percebam que lidar com eles é uma capacidade individual de aprendizado e sugiram soluções ao chefe diante do ocorrido.
  8.  Se você se comprometeu a executar um projeto ou atividade e, por qualquer motivo, não conseguirá entregá-lo no prazo, é melhor avisar o quanto antes. Se não avisar, pode ser que não te envolvam em futuros projetos.
  9.  Os profissionais que aceitam mudanças de rota com mais facilidade costumam ser bem vistos pelas companhias e, muitas vezes, podem até ser convidados para participar de futuros projetos piloto ou a fazer parte de comitês para buscar melhorias.
  10.  Mantenha-se informado para ser capaz de compreender, traçar e prever cenários.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comunicação das abelhas

Vamos analisar a forma com que as abelhas se comunicam, associando-a a importância de uma linguagem clara e objetiva dentro de uma empresa?As abelhas possuem um sistema de comunicação bastante organizado e interessante: quando querem informar as companheiras sobre a localização de uma fonte de alimento, as campeiras – responsáveis por registrar a posição da fonte em relação a colmeia – usam o sistema da dança, que difere em relação a distância da localização. Em uma empresa, a comunicação – que, em nossa espécie, ocorre através da linguagem – precisa ser de natureza clara e eficiente seja qual o setor de atuação, direcionando o trabalho ao alvo definido pela corporação. Digamos, em comparação, que este alvo seria a fonte de alimento e, a equipe, o grupo de abelhas: todas caminhando na mesma direção, sob uma liderança que almeja o sucesso profissional e se comunica através dessa linguagem objetiva. Pensando em aprimorar a comunicação de uma empresa – entre setores, funcionários e como in…

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

Esta é a prova de que postar no LinkedIn pode deixá-lo “famoso”

LinkedIn acaba de divulgar ranking inédito no Brasil com os usuários cujos textos tiveram mais repercussão neste ano PorCamila Pati LinkedIn: 12 mil novos artigos em português toda semana (Flickr/Creative Commons/Nan Palmero) São Paulo – Com 27 milhões de perfis de brasileiros, oLinkedInacaba de divulgar uma lista inédita por aqui:a de usuários cujos artigos alcançaram maior repercussão na rede social neste ano. OrankingTop Voices tem como foco pessoas comuns e que publicam espontaneamente narede socialprofissional, ou seja, não são convidadas pela plataforma a escrever, como no caso dos usuários influenciadores. “Qualquer usuário pode publicar um artigo e é muito simples fazer isso. Desde agosto do ano passado há um botão “escrever artigo” na página inicial”, diz o editor do LinkedIn, Guilherme Odri. De acordo com ele, é uma oportunidade de dividir ideias com uma audiência interessada em aprender e também em ensinar. Marc Tawill, sócio-diretor da Tawill Comunicação, foi, entre…