Pular para o conteúdo principal

5 estagiários que se tornaram CEOs

Inspire-se com essas histórias de sucesso

Cheios de entusiasmo, energia e vontade de aprender, os jovens enfrentam um grande desafio: dar os primeiros passos na vida profissional. Para inspirar quem acaba de começar a carreira, o Estagiários Online, plataforma que firma parceria entre estudantes e empresas, selecionou exemplos de universitários que conquistaram grandes cargos em companhias renomadas.
Confira:

1. Rodrigo Kede, presidente da IBM América Latina
A longa história de Kede na empresa norte-americana começou em 1993 quando ainda era estagiário. Destacou-se e, em 2012, tornou-se o mais jovem presidente da IBM Brasil, cargo que ocupou até 2014 pois, em 2015, tornou-se vice-presidente mundial de Transformação, uma das divisões internas da empresa. Naquele mesmo ano, anunciou a ida para a brasileira Totvs, onde foi presidente até o início de 2016. Atualmente, voltou para a IBM, desta vez liderando a operação latino-americana da gigante de TI.

2. Ursula Burns, presidente da Xerox
A nova-iorquina formada em engenharia mecânica ingressou na empresa em 1980, quando ocupava uma posição de estagiária. Os anos passaram e Ursula avançou cada degrau até conquistar a presidência da Xerox, a qual exerce desde 2010. Com 57 anos, ela é a primeira mulher afro-americana a ocupar o cargo de CEO de uma empresa Global Fortune 500, classificação das 500 maiores companhias mundiais. 

3. Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil
O paulista formado em administração pela PUC-Rio iniciou sua vida profissional ainda cedo. Com apenas 15 anos, em 1978, já era estagiário no Banco do Brasil. Com o passar do tempo, foi efetivado e escalou a hierarquia da empresa até ser nomeado, em abril de 2009, presidente do BB. Deixou o cargo no início de 2015.

4. Ivan Zurita, ex-presidente da Nestlé
Economista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, o então jovem de 17 anos começou como estagiário na marca suíça, em 1972. Percorreu as diversas áreas da empresa, no Brasil e no exterior, o que lhe permitiu ocupar, a partir de 2001, o cargo máximo da sede brasileira, função que exerceu até 2012. Após 40 anos de parceria, em seu único trabalho com carteira assinada, Zurita deixou a marca não antes de quintuplicar o faturamento, quadruplicar o tamanho da empresa e melhorar as vendas da Nestlé no país.

5. Roger Ingold, ex-presidente da Accenture Brasil e América Latina
Quando ainda era estudante de engenharia na Universidade de São Paulo, Ingold entrou, em 1982, na sede brasileira da Accenture, maior empresa de consultoria do mundo, como estagiário. Em 2004, após desempenhar diversas funções, assumiu a presidência da empresa estadunidense. Aos 57 anos, em 2016, deixou o cargo e levou consigo uma bagagem de 34 anos de experiência.

Não há formula mágica para ser promovido e conquistar grandes cargos, mas todos os exemplos citados ingressaram no mercado de trabalho muito jovens, acumularam experiência e tiveram paciência até chegarem em lugares de destaque. “Ter sucesso dentro de uma empresa não é questão de sorte, e sim, de esforço, dedicação, aprendizado e, por que não, paciência. Queremos ajudar os jovens sonhadores de hoje a se prepararem para serem ótimos líderes no futuro”, comenta Kleber Costa, CEO do Estagiários Online.

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

A ética nossa de cada dia

Parte da matriz profissional, a ética garante uma carreira sólida e bem sucedidaA ética profissional faz parte da vida de muitos trabalhadores, afinal, para se construir uma carreira duradoura, é necessário manter uma conduta louvável, fundamentada em princípios e valores éticos e morais. Considerada como o ato de cumprir suas obrigações de sua área profissional sem violar nenhum princípio, a ética profissional, segundo Madalena Feliciano,  CEO do Instituto Profissional de Coaching, deve ser cercada por valores como:
A honestidade e integridade – “sempre buscar fazer seu trabalho de maneira honesta, prezando sua credibilidade”.O sigilo e o respeito – “respeitar o cliente, o colega de trabalho. Não tirar vantagens de situações, não firmar compromissos que não pode cumprir, etc.”, exemplifica Madalena.A contribuição social – “todo trabalho pode trazer uma contribuição para a sociedade. O de coaching, por exemplo, tem a capacidade de contribuir para o desenvolvimento de pessoas”, ressalta.…

Para alcançar o sucesso é preciso estudar a empresa

Madalena Feliciano diz que é necessário alinhar valores para ter sucesso profissional. Até mesmo para enviar o currículo a uma empresa é sempre bom conhecer sua cultura para ver se seus valores batem com os dela. Para isso, a internet é uma grande aliada para descobrir itens como missão, visão e valores, que são importantes quando for chamado para uma entrevista. No processo seletivo, o candidato pode aproveitar para descobrir várias outras informações sobre a empresa, prestando atenção nas perguntas feitas pelo selecionador e pelas atividades que deverão ser realizadas. “Profissionais que mostram conhecimento anterior e interesse sobre a empresa ganham pontos positivos com o entrevistador e futuros chefes. A atenção neste momento pode garantir um bom resultado no mais para a frente”, diz Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers. Ao entender melhor a cultura e o funcionamento da empresa, o profissional conseguirá identificar também seus pontos fracos e terá bons critér…