Pular para o conteúdo principal

5 perguntas para saber se você foi bem ou mal na carreira em 2016

As respostas que você der para essas questões vão direcionar seu próximo ano. Confira como já começar a planejar 2017

O final do ano chegou e é hora de fazer um balanço e traçar metas para 2017. Se você já fez um planejamento de 2015 para 2016, fica mais fácil avaliar o quanto cumpriu do planejado ou foi além dele. Mas, mesmo quem não fez essa lição de casa no ano passado, pode ter uma ideia mais concreta sobre se avançou na carreira ao longo de 2016, respondendo a cinco perguntas: 
  • Quais foram suas entregas? Você foi reconhecido por elas? Como o ano foi apertado pelas empresas, muitas não puderam fazer esse reconhecimento com aumento salarial ou promoção. Mas avalie se obteve algum tipo de reconhecimento por meio de um prêmio ou simplesmente por um feedback positivo da chefia em público ou em particular. 
  • Você ganhou responsabilidade? Passou a ser envolvido em projetos considerados estratégicos pela empresa? Essa foi uma forma muito recorrente das empresas demostrarem para os profissionais que os reconhece como talentos. Nos rearranjos que foram feitos no organograma da maior parte das empresas para tornar a estrutura mais enxuta e eficiente, muitas pessoas ganharam novas responsabilidades. Mesmo não tendo sido acompanhadas por reajuste salarial, podem ser consideradas como uma aposta da empresa no seu potencial. 
  • Passou a ser mais consultado nas tomadas de decisões? Se seus colegas – pares, subordinados e líderes – procuraram levar a sua opinião em consideração antes de tomar decisões, pode considerar isso um sinal de que está sendo percebido como referência naquilo que faz dentro da empresa. 
  • Você conseguiu mostrar suas entregas e os impactos que elas tiveram para a organização? Não basta apenas considerar que cumpriu o seu papel. Principalmente em um ano em que as empresas batalharam para se manter competitivas no mercado, é muito importante que seja possível mensurar o quanto seu trabalho contribuiu para que se atingisse esse objetivo e fazer com que a liderança saiba disso. 
  • Você sente que ainda tem algo a aprender na sua área? Vale a pena, ainda, incluir nesta reflexão, se há espaços dentro da empresa em que atua para evoluir mais dentro dos seus objetivos. Isso determinará o direcionamento do seu planejamento de carreira para 2017. 
Metas para o próximo ano
Para te ajudar com esse planejamento, caso ainda não tenha feito um ou ache que precise aperfeiçoar o seu, sugiro que crie um modelo simples, que não exija tempo para ser preenchido e acompanhado. O ponto de partida é refletir e definir onde se vê daqui cinco anos e o que estará fazendo até lá. Tanto no plano profissional como no pessoal. Como eu sempre digo, que o segredo para o sucesso é o autoconhecimento, ou seja, saber exatamente onde se quer chegar e porquê.
Na sequência, relacione seus objetivos pessoais e profissionais, com prazo para serem cumpridos e de maneira mensurável. Ou seja, “ter sucesso profissional” é diferente de “aprimorar o meu inglês para concorrer a uma vaga X em novembro”. Certo?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A comunicação das abelhas

Vamos analisar a forma com que as abelhas se comunicam, associando-a a importância de uma linguagem clara e objetiva dentro de uma empresa?As abelhas possuem um sistema de comunicação bastante organizado e interessante: quando querem informar as companheiras sobre a localização de uma fonte de alimento, as campeiras – responsáveis por registrar a posição da fonte em relação a colmeia – usam o sistema da dança, que difere em relação a distância da localização. Em uma empresa, a comunicação – que, em nossa espécie, ocorre através da linguagem – precisa ser de natureza clara e eficiente seja qual o setor de atuação, direcionando o trabalho ao alvo definido pela corporação. Digamos, em comparação, que este alvo seria a fonte de alimento e, a equipe, o grupo de abelhas: todas caminhando na mesma direção, sob uma liderança que almeja o sucesso profissional e se comunica através dessa linguagem objetiva. Pensando em aprimorar a comunicação de uma empresa – entre setores, funcionários e como in…

Os pilares da confiança no trabalho e como construí-los

A confiança é um dos princípios fundamentais da construção de relacionamentos. Ela, contudo, não acontece de um dia para outro, exige o que a pessoa tem de melhor, se desenvolvendo aos poucos. Ela precisa ser conquistada com nossas ações e comportamentos.

Assim como na vida pessoal, relacionamentos profissionais também dependem dela para se manterem saudáveis. “Uma relação de confiança no ambiente de trabalho cria espaço para a cooperação, o comprometimento, a circulação de ideias inovadoras, superação das diferenças, aumentando a satisfação no trabalho e melhora da comunicação”.

Mas quais são os pilares da relação de confiança no ambiente profissional? Confira e veja ainda quais os passos para construir um relacionamento baseado na confiança:

Honestidade, integridade e coerência
“Não posso dizer confie em mim, mas por meio destes três aspectos eu estabeleço o vínculo de confiança”. Para que um indivíduo confie em alguém e se comprometa com ele é preciso acreditar nele. “Perceber que é ve…

Esta é a prova de que postar no LinkedIn pode deixá-lo “famoso”

LinkedIn acaba de divulgar ranking inédito no Brasil com os usuários cujos textos tiveram mais repercussão neste ano PorCamila Pati LinkedIn: 12 mil novos artigos em português toda semana (Flickr/Creative Commons/Nan Palmero) São Paulo – Com 27 milhões de perfis de brasileiros, oLinkedInacaba de divulgar uma lista inédita por aqui:a de usuários cujos artigos alcançaram maior repercussão na rede social neste ano. OrankingTop Voices tem como foco pessoas comuns e que publicam espontaneamente narede socialprofissional, ou seja, não são convidadas pela plataforma a escrever, como no caso dos usuários influenciadores. “Qualquer usuário pode publicar um artigo e é muito simples fazer isso. Desde agosto do ano passado há um botão “escrever artigo” na página inicial”, diz o editor do LinkedIn, Guilherme Odri. De acordo com ele, é uma oportunidade de dividir ideias com uma audiência interessada em aprender e também em ensinar. Marc Tawill, sócio-diretor da Tawill Comunicação, foi, entre…